≡  
08
nov
2015

Acompanho Grey’s Anatomy desde a 5ª temporada. Nessa época, ele passava às segundas-feiras no Sony e era um alento pro começo da semana. Só que não rolava um compromisso sério de assistir toda semana. Quando não dava pra encontrar, quer dizer, pra assistir, eu não me descabelava.

Com o tempo eu fui me apegando àquelas pessoas. Me sinto meio doida, mas quando eu gosto muito de uma série, aquelas pessoas viram amigos próximos, família ou, no pior dos casos, inimigos próximos. Sim, tenho que confessar, tão bom quanto amar e torcer por um personagem, é ver aquele serzinho detestável tendo o seu final merecido.

Só que esse é o encanto de Grey’s, não rola um vilão. São pessoas, vivendo dramas reais. Ninguém é 100% bom ou mau. São humanos. Bom, minha paixão ficou tão grande, que comecei a acompanhar cada spoiler pelo www.greysanatomy.com.br, cada novidade, cada retorno de temporada.

Mas como qualquer relacionamento real, tivemos crises sérias. Ela (a série) me maltratou muito. E eu, como boa mulher de malandro, apanhei, chorei e voltei. /as duas últimas temporadas, no entanto, aprofundaram essa crise. Primeiro perdemos a Christina Young. A “pessoa” de Meredith, aquela amiga pra todas as horas, se despediu da série. Chorei, só que essa despedida já havia sido anunciada desde o começo da temporada, a atriz Sandra Oh não quis renovar o contrato.

Na última temporada, a 11ª, tudo corria bem. Todos os atores principais estavam saudáveis e felizes, quero dizer, com seus contratos renovados até o final da 12ª temporada. Até que, após problemas nos bastidores, tivemos que nos despedir repentinamente de um dos personagens principais e mais queridos da série, o Dr. Derek Sheperd. Juro, chorei como se estivesse perdendo alguém da família.

Além da perda repentina, foi um despedida sem brilho, sem respeito pela importância do personagem na história. Um neurologista que era referência nos EUA morreu de... morte cerebral. Sério, Shonda? Pra piorar, sofri duas vezes mais de ver a Meredith ter que receber essa notícia sozinha. E o enterro? Foi a morte mais cruel de personagem que eu já vi.

Meu marido, de tanto eu encher o saco, viciou também. E ficou revoltado com essa perda. Juramos que a relação tinha acabado ali. A Meredith já tinha perdido a mãe pro Alzheimer, caído de avião, perdido a mãe nessa queda, operado o Derek após ele ter tomado um tiro, quase morrido no parto, se despedido da Christina e agora estava viúva e... GRÁVIDA do terceiro filho. Sério, Shonda??? É sofrimento demais, gente.

Aí, a 12ª temporada começou. Fiquei curiosa pra saber como os personagens seguiriam com suas vidas e não achei que fosse possível dar um rumo interessante pra história. Droga, foi possível. Continuo viciada. A Meredith vendeu a casa em que morava com Derek e foi morar na casa que era da sua mãe com a irmã, Maggie, e a cunhada, Amelia. Acho que a Ellen Pompeu deu uma exagerada séria no botox, tá completamente sem expressão. Mas tô apegada na Maggie e na Amelia. Ah, os filhos desapareceram, nunca mais vi...

Alex se consolidou como a nova pessoa da Meg, e tá segurando bem a responsa de substituir a Dra. Yang. Só que nisso, a história dele com a Jo enfraqueceu e tô sentindo ela meio deslocada na história. Quanto aos novos casais, adoro a Maggie com o residente Andrew. Ela toda desajeitada, doida, e ele lindo, sereno, charme puro. Não curto a Emilia com o Hunt. Ela ficou de tapa-buraco da Yang, não rolou. Quanto à April e o Jackson, bom , espero que ela seja a próxima vitima da Shonda. Personagem mais chata de todo o seriado!! Jackson merece coisa melhor.

Tô nas nuvens com a Bailey como chefe de cirurgia. Ela tá arrasando! O episódio do primeiro dia dela na função foi sensacional! Adoro a parceria dela com o marido. Richard está apagadinho e a Catherine simplesmente sumiu, ninguém sabe, ninguém viu. Por último, a cartada final que vai me manter presa até o último segundo dessa temporada.

Havia uma chance de salvar o Derek, só que ele acabou sendo vítima da negligência dos médicos do hospital onde ele foi atendido. Dentre eles, tinha uma médica que se sentiu particularmente culpada pelo ocorrido e até admitiu a sua culpa pra Mer. Não é que essa mulher, Penny, é a nova namorada na Callie e foi numa festa na casa de ninguém mais, ninguém menos que Meredith, pra ser apresentada pros amigos da namorada. Não roí só as unhas nesse episódio tenso, não, cheguei no osso... Hahahahahahahaahaha

Pra completar a loucura, essa médica pediu transferência pro Grey Sloan Memorial Hospital e vai ser colega de trabalho da víuva e da irmã do seu paciente falecido. O último episódio, exibido no dia 05/11, mostro o primeiro dia de Penny como residente e ela começa trabalhando direto com a Mer. Esse episódio foi centrado nessa tensão entre as duas, com a Meredith fazendo ela de gato e sapato; com a April e o Jackson envolvidos no caso comovente de uma garotinho e no Richard e a Maggie, que são pai e filha, se aproximando.

Então, achei a Meredith mala total. Entendo a dor dela, só que havia a opção de barrar a contratação da Penny, de colocar ela pra trabalhar direto com outro médico... Pra me dar mais raiva, ela é boa médica. Outro momento que deu raiva, o tanto que a cena dela e da Callie se beijando foi fofa. Shonda, tá passando da conta, viu? Quero odiar a mulher, mas você me manipula demais! Quanto ao Japril...zzzzzzzzzzzzzz Casal mais chato das galáxias. Contando as horas pra Shonda olhar torto pra ela e cortar o mal pela raiz. Mala!! Tô achando mega ultra power fofa a aproximação do Richard com a Maggie.

Tá bom ou quer mais? Eu tenho que admitir que quero mais. Mal posso esperar pelo episódio dessa semana, tô doida pra descobrir que treta foi essa que rolou entre o Hunt e o Nathan Riggs, cirurgião novo em Grey's. Apaixonei novamente...

Comentários

Nenhum comentário foi publicado para este post. Seja o primeiro a comentar...

Instagram