≡  
03
ago
2015

Estreou ontem no Brasil o reality show “I’m Cait”, que mostra a nova rotina de Bruce Jenner. Pra quem ainda não ligou os pontos, Bruce, 65, é ex-atleta, medalhista olímpico, pai de seis filhos. Ele também é padrastro de Kim, Khloe and Kourtney Kardashian. Em abril, ele se assumiu transgênero em uma entrevista emocionante, concedida à Diane Sawyer. Pra quem ainda não está muito familiarizado com o termo, transgênero é uma pessoa que não se identifica com as características esperadas socialmente do seu sexo biológico. Bruce se via e se sentia como uma mulher.

Em junho foi a vez da capa bafônica da Vanity Fair, onde ele apareceu pela primeira vez como mulher e revelou o nome pelo qual gostaria de ser conhecido, Caitlyn Jenner.  As fotos, feitas por Anne Leibovitz, ficaram absolutamente deslumbrantes e tiveram repercussão mundial.

Um documentário com os bastidores da capa foi disponibilizado pela revista na internet e, entre muitos outros detalhes interessantes, mostra o alívio de Cait por poder finalmente assumir quem é e a construção de seu guarda-roupa / imagem.

Dito tudo isso, seguem alguns motivos para você não perder a reprise no canal E! :

1 – Bem diferente do Keeping up with the Kardashians

O reality não é raso como o das Kardashians. É muito interessante ver Cait descobrindo o mundo, desde assinar o próprio nome até encontrar sua família pela primeira vez.

2 – A reação da mãe de Bruce, Esther, ao vê-lo como Cait pela primeira vez

Esther Jenner, uma senhora lindinha de 88 anos, se assusta e diz que vai ter que se acostumar. Só que o amor fala mais alto e ela diz que vai continuar amando a filha incondicionalmente e do orgulho que sente. Coisa linda de se ver.

3 – Kayne West surpreende

O rapper também tem o seu primeiro encontro com a madrasta de sua esposa nesse episódio. E não é que ele surpreende? Diz que Bruce tinha tudo, ele e a família são celebridades e ele simplesmente parou desse importar com a opinião dos outros, pra mostrar quem é de verdade.  Honestamente, não esperava essa fofurice explícita. Curti!

4 – Kim e o closet da madrasta

Essa cena é sensacional, Cait leva Kim para conhecer o seu closet, recheado de roupas maravilhosas dos melhores estilistas. De quebra, ainda mostra um vestido da Tom Ford que, segundo Kim, é igual ao de sua mãe, Kris Jenner. Cait imagina um “quem vestiu melhor?”. Alguém duvida que as duas ainda vão sair com o mesmo look?

5 – O papel de embaixadora da causa transgênero

Uma das partes mais emocionantes é a visita de Cait a Katharine Prescott. Ela é mãe de Kyle Prescott, um adolescente transgênero de 14 anos, que se matou em maio desse ano. Suicídio é um pensamento comum para pessoas que sofrem de transtorno de gênero e a taxa das pessoas que chegam às vias de fato é alta. A própria Caitlyn já confessou que cogitou o suicídio, como uma forma de “acabar com tudo sem dor”. E agora aparece confortável e comprometida no papel de embaixadora dessa causa. Outro fato muito interessante, é que o episódio termina com um telefone de uma linha de apoio, incentivando as pessoas que pensam em suicídio a buscarem ajuda.

Resumindo, recomendo muito!!! O que vemos é uma Caitlyn confortável em sua pele e ainda que você não se identifique com a questão transgênero, a mensagem do Bruce, agora Caitlyn, é que nunca é tarde para começar a viver a vida que se sonha. Ele, aos 65 anos, com uma vida que para muitos parecia perfeita (dinheiro, família, saúde) teve a coragem de virar a mesa. No caso dele, como de muitos, foi um processo doloroso, os ruídos externos são muitos e machucam, só que o foco tem que ser a saúde da relação com a pessoa mais importante da sua vida: VOCÊ!

Comentários

Nenhum comentário foi publicado para este post. Seja o primeiro a comentar...

Instagram