≡  
11
jul
2015

Essa foi a minha quinta viagem para Buenos Aires e a mais diferente delas. Em todas as outras visitas, as pessoas que me acompanharam estavam indo pela primeira vez. Isso significa que eu já estou careca de ver pontos turísticos como a Casa Rosada, a Bombonera e a Floralis Generica. Sendo assim, uma das coisas certas era que não passaríamos perto do Centro, não passaríamos muito tempo na Recoleta, muito menos iríamos a La Boca.

Se teve uma coisa que eu aprendi na minha última viagem para Europa, foi a amar museus. Antes disso, confesso que não tinha muito saco. Então, a única certeza do roteiro, era que visitaríamos alguns museus, programa que eu ainda não tinha feito na cidade. Acabamos indo a três: o Museu de Arte Latino Americana de Buenos Aires (MALBA), o Museu Evita e o Museu Nacional de Belas Artes (MNBA).

O MALBA é lindíssimo, por sua arquitetura moderna, por seu interior impecável. Ao entrar, para minha surpresa, achei ele pequeno. Em umas duas horas, a passos lentos, é possível visitar todas as obras. A qualidade das obras expostas, no entanto, compensa a quantidade.

Iniciamos a visita pelo segundo andar, onde está exposta a "Coleção Arte Latino-Americana". Fiquei encantada ao ver a o quadro "Abaporu", da nossa Tarsila do Amaral. Outro que eu amei, foi o "Autorretrato con chango y loro", da mexicana Frida Kahlo. Nesse mesmo andar, também está a "Intenciones Secretas", seleção de 90 fotografias vintage de Annemarie Henrich. Todas as fotos seguem a ideologia feminista , abraçada com fervor pela autora, e são absolutamente incríveis!

No terceiro andar, está a exposição "Polesello Joven 1958-1974", homenagem feita ao artista argentino Rogelio Polesello, no aniversário de um ano do seu falecimento. A mostra conta com pinturas e trabalhos feitos com acrílico, que geram incríveis efeitos ópticos. Pirei com esse último quadro do lado esquerdo. Quero ele na minha sala, já!! No primeiro andar está a "Memorias Imborrables", seleção de de dezoito vídeos de forte conteúdo político e social, oriundos do Acervo da Videobrasil. Não empolguei muito com essa parte, não. Recomendo muito a visita ao Malba. Dos três museus que visitamos, foi o meu favorito disparado.

MALBA

Endereço: Av Pres. Figueroa Alcorta 3415, Buenos Aires, Argentina

Horários de funcionamento:

Quinta e Segunda-Feira: das 12h às 20h
Quarta-Feira: das 12h às 21h
Terça-Feira: fechado
Feriados: museu aberto das 12h às 20h, exceto nas terças-feiras.

Entrada: $75 (Considerando a cotação do peso argentino de hoje do G1, sai por uns R$ 25,94).

Atenção, estudantes pagam meia-entrada!!! Não esqueça de levar a sua carteirinha!! Meu marido levou a do MBA e eles aceitaram. Só que, diferente da informação do site, ele não pagou nada pela entrada.

Para mais informações, clique aqui.

Saímos do MALBA direto para o Museu Evita que fica numa casa antiga e lindíssima, a uns trinta minutos a pé dele. O caminho até lá é arborizado, com prédios residenciais incríveis e lojinhas fofas. Honestamente? Eu não estava nada empolgada, mas foi uma grande surpresa. Acho que a sorte que demos ajudou bastante. Começamos o passeio junto com uma visita guiada. O espanhol da guia era muito fácil de entender e suas explicações enriqueceram muito a visita. No museu é possível, ver fotos, da infância até o final de sua vida; roupas usadas em visitas oficiais, na época em que Evita foi primeira dama; vídeos... Saí de lá com muita vontade de conhecer mais sobre Eva Duarte, a atriz que virou primeira dama e escreveu seu nome na história ao abraçar as causas sociais. As cenas do seu funeral, com homenagens dignas de chefes de estado e mais de dois milhões de pessoas nas ruas de Buenos Aires, são impressionantes. O tour completo leva cerca de uma hora. O local conta ainda com um restaurante incrível, só que isso é assunto pra outro post. Recomendo demais!!

Curiosidade: as roupas expostas não são fixas. De tempos em tempos, eles as trocam por outras peças do acervo.

Museu Evita

Endereço: Lafinur 2988 (C1425FAB) Buenos Aires, Argentina.

Funcionamento:

Terça-Feira a domingo: das 11h às 19h.
OBS¹: Os ingressos são vendidos até trinta minutos antes do fechamento.
OBS²: Fechado às segundas-feiras, em 1º de fevereiro, 1º de maio, 24, 25 e 31 de dezembro.

Entrada: $15 (Considerando a cotação do peso argentino de hoje do G1, sai por uns R$ 5,19).

Atenção, estudantes pagam meia-entrada!!

Para mais informações, clique aqui.

Pra fechar, fomos ao Museu Nacional de Belas Artes (MNBA) no penúltimo dia da viagem. Ele fica na Recoleta, próximo ao Cemitério e à Floralis Generica. Sério, nunca entendi essa maluquice de visitar o Cemitério da Recoleta. É mórbido, é bizarro. Se essa fosse a minha primeira visita, eu tiraria ele da programação e gastaria o máximo de tempo nesse museu, que tem obras de alguns dos mais importantes artistas mundiais, como El Greco, Degas, Monet, entre muitos outros. Como dá pra ver pela primeira foto da montagem, o museu está passando por uma grande reforma, e só é possível visitar o primeiro piso. Se tiver que escolher um só museu para visitar, escolha esse, sem dúvida. O primeiro motivo é que você certamente visitará alguma outra atração próxima, isso vai te poupar tempo. O segundo é que ele tem um acervo muito maior e mais relevante do que os outros museus de Buenos Aires.  Reserve pelo menos umas duas horas e meia para fazer o passeio com calma.

MNBA

Endereço: Av. Del Libertador 1473 | C.A.B.A. | Argentina

Funcionamento:

Terça a sexta-feira: das 12:30h às 20:30h
Sábados e domingos: das 9:30h às 20:30h
OBS: Só é possível entrar até trinta minutos antes do fechamento. O museu fecha às segundas-feiras.

Entrada: Gratuita (Uhuuuuuuuuul!)

Para mais informações, clique aqui.

Espero que tenham gostado. Esse é o primeiro, de uma série de posts sobre a viagem.

Comentários

Nenhum comentário foi publicado para este post. Seja o primeiro a comentar...

Instagram