≡  
27
maio
2015

Visitei o Sea World em três das quatro vezes em que estive em Orlando. A primeira vez foi bacana por não conhecer nada relativo ao parque, mas não amei. Nunca achei graça nos shows com animais. O parque só ganhou um pouco da minha atenção quando lançou a sua primeira montanha-russa, aquática, a Journey to Atlantis, em 1998.

A queda é muito boa, 18 metros (maior do que a queda da Splash Mountain – que tem 16 metros),  impossível não se molhar. Mas o brinquedo em si, só pode ser definido como tosco. Fico imaginando os funcionários da Disney passando mal de rir quando andam num brinquedo desses. Eles podem não ser os melhores em atrações radicais, e nem é esse o grande foco deles. Só que, independente da atração, na Disney cada detalhe é cuidado e bem feito. Nesse brinquedo, tudo parece uma grande enrolação para as quedas. Enrolação essa que ninguém teve muito saco pra criar e executar direito.

No ano 2000, foi a vez da Kraken, que é uma montanha-russa steel floorless (de aço e sem piso), inspirada numa fera submarina mitológica. Com sete inversões, velocidade máxima de 105 km/h e uma queda de 44 metros, ela pode ser vista de longe em Orlando. Essa foi uma grande aquisição para o parque, mas não chegou perto do próximo grande lançamento...

... a Manta. Inaugurada em 2009 e inspirada nas arraias, ela continua sendo a única montanha-russa do modelo flying (você fica preso no carrinho deitado de barriga pra baixo, e faz o passeio como se fosse o Super-Homem). Com a velocidade máxima de 90km/h e uma queda de 35 metros, ela é suave e emocionante. Na minha opinião, foi o investimento mais certeiro do parque até hoje.

E hoje, foi feito o anúncio da nova montanha-russa, que será inaugurada no verão de 2016, a Mako. E ela será do estilo hypercoaster, como são chamadas as montanhas-russas muito rápidas, muito íngremes e que proporcionam a sensação de gravidade zero. Com uma velocidade máxima de 117 km/h, uma queda de 61 metros, 1.451 metros de extensão, ela será a mais alta, mais veloz e mais longa atração desse tipo de Orlando. E ainda contará com uma trilha sonora especial. A ideia é que o visitante se sinta um tubarão-mako, perseguindo uma presa. Para receber a nova atração, uma região do parque, nos arredores da atração Shark Encounter e do restaurante Shark Underwater Grill, será revitalizada dentro do tema tubarões e naufrágio.

O Sea World divulgou imagens que mostram como a nova área e a montanha-russa serão. Além disso, um vídeo divulgado por eles dá uma ideia de como será a nova atração em movimento.

Eu sou louca por montanhas-russas, mas, ainda assim, não seu se vou conferir essa nova atração pessoalmente. Assisti ao documentário Blackfish, que levantou o debate sobre a criação das baleias em cativeiro, e jurei não voltar mais ao Sea World. Veremos se conseguirei resistir na minha próxima viagem pra Orlando.

Comentários

Nenhum comentário foi publicado para este post. Seja o primeiro a comentar...

Instagram