≡  
15
maio
2015

Ao longo desse período sabático, venho tentando variar bastante os temas dos livros que eu escolho para ler, buscando sempre enriquecer essa fase. Desde leituras mais leves, passando por livros que contam experiências de empreendedores, pelos livros de moda e até autoajuda. Quando eu falo de autoajuda, não me refiro apenas aos livros que fornecem conselhos sentimentais, mas aos livros que nos ajudam a melhorar áreas da vida que precisam de mudança. Comprei o livro Vida Organizada (Editora Gente, 222 páginas, 2014) pensando em aprimorar e ajustar atitudes no processo de mudança que eu comecei ao deixar o meu emprego.

Muitas pessoas próximas imaginam que, por não estar trabalhando em uma empresa, eu esteja de bobeira todos os dias, coroando as tardes com cochilos relaxantes. O que essas pessoas não imaginam, é que não acordei depois das 9h nenhum dia desses quase quatro meses, nem mesmo nos finais de semana. E que esses cochilos só ocorreram em três dias, incluindo os finais de semana. A verdade é que, eu me ocupava com um emprego que não estava mais me fazendo sentir realizada. Por muitos anos ele foi fonte de muito aprendizado e desafios e, apesar de todo o estresse, o crescimento que ele me proporcionava fazia o meu tempo, esforço e paciência valerem a pena. Só que em algum momento, essas motivações desapareceram e eu comecei a sentir que não tinha tempo o bastante para analisar a minha vida e refazer a rota.

Sendo o tempo uma das principais motivações da minha saída, eu não estaria sendo justa comigo, se usasse esse tempo para cultivo do ócio ou de hábitos que pouco me acrescentariam. Eu abri mão da segurança de um salário, dos benefícios. Era minha obrigação usar todo esse tempo da forma mais produtiva possível. Só que uma das coisas mais difíceis da vida adulta é a mudança de hábitos, de rotina. Eu precisava me acostumar a uma vida em casa e fazer com que eu avançasse um pouco a cada dia em direção aos meus objetivos, tanto pessoais, quanto profissionais.

Conheci o blog Vida Organizada (http://vidaorganizada.com/) em janeiro, mês em que estava cumprindo o meu aviso prévio. A leitura das dicas de organização da Thais Godinho, autora do blog e do livro, me causou uma enorme ansiedade para a nova fase que se aproximava e me encheu de esperança de fazer desses próximos meses um período de reflexão e evolução pessoal. Quando finalmente a hora chegou, achei que o seu livro seria um excelente guia para as novas atividades que eu esperava desenvolver.

E não me enganei. Thais, além de ser organizadora profissional, escritora, blogueira, publicitária e especialista em produtividade e gestão de tempo, é uma excepcional motivadora. E acho que esse é o segredo que faz desse livro um guia essencial para as pessoas insatisfeitas com as suas vidas. E quando eu digo vidas, me refiro a todas as áreas que compõem a nossa existência: família, cuidados com a casa, relacionamentos, saúde, trabalho. Essa publicação é uma aula de priorização. Começando pela proposta do livro, que não estabelece uma fórmula única, não enumera regras. Ele coloca a organização muito além dos nossos preconceitos, de uma casa impecavelmente arrumada, de uma pessoa que funciona minuciosamente programada. A partir de diversos exercícios, você embarca numa jornada onde os seus objetivos de vida ficarão mais claros e você poderá compreender que a ideia principal da organização é criar uma rotina que funcione para você, que faça com que as suas atitudes estejam de acordo com os seus valores e sonhos. E tudo isso, ela faz questão de reforçar diversas vezes, passa longe da perfeição.

Além dos exercícios, você será apresentado a diversas ferramentas como o Evernote; o FlyLady; o Toodledo; e o método GTD – Get Things Done (seguido pela autora). Entenderá a importância da adoção de uma agenda e será apresentado a opções online e física, assim como aprenderá uma forma muito produtiva de administrá-la. E todo esse papo de organização vai muito além da sua casa, mas passará também por ela, que é o nosso templo. A reflexão sobre prioridades certamente será estendida às atividades em que você se envolve em seus períodos de lazer, aos seus relacionamentos e até às suas atitudes; com o objetivo de tornar a sua vida o mais simples possível.

Falando em relacionamentos, ela inclusive toca em um grande tabu social brasileiro: o papel do homem na manutenção da casa. Como fomos criados em uma sociedade altamente machista, meu avô e meu pai jamais se envolveram nas tarefas domésticas, acabamos usando o termo ajuda para as atividades desempenhadas pelo homem em casa. Acredito profundamente que devemos brigar pela igualdade salarial dos gêneros. Porém, os cargos mais altos dificilmente serão alcançados por um número significativo de mulheres, se não mudarmos a forma como essa relação acontece dentro de casa. É impossível se dedicar plenamente ao trabalho, se ao chegar em casa, os cuidados domésticos e com os filhos for majoritariamente das mulheres. Só esse ponto daria um livro, mas mencionei, pois achei incrível e totalmente pertinente que ele fosse abordado dentro do tema organização.

Nem só de visão macro é feito o livro, dicas de atividades para quando falta internet no trabalho e para evitar a procrastinação, por exemplo, ajudam a tornar a nossa rotina muito mais produtiva. Os pontos que discutem o destralhamento são destaques e poderão te ajudar não só a ter uma vida mais organizada, como a economizar e a levar uma vida mais leve, uma vez que ele não se refere unicamente a objetos. Relacionamentos, emprego e atitutes que não nos acrescentam vão sendo identificados e cortados a cada exercício.

Recomendo a leitura de Vida Organizada para qualquer pessoa que sinta a necessidade de uma vida mais plena. A sua leitura vai ter ajuda a identificar aquilo que é essencial para o seu bem estar e te orientar na organização para a conquista de qualquer objetivo que você tenha. O livro não só ficará na minha estante, como certamente será relido diversas vezes ao longo da vida.

Comentários

Nenhum comentário foi publicado para este post. Seja o primeiro a comentar...

Instagram