≡  
13
jan
2015

2014 foi um ano devastador. Eu sempre fui centralizadora, workaholic, sempre achei que poderia resolver qualquer problema que se apresentasse. Me vi fragilizada e impotente com a internação da minha avó, um dos grandes amores da minha vida. E aprendi da pior maneira que a gente tem como mudar tudo na vida, menos o essencial. Eu não tinha nenhum poder pra fazer ela se recuperar e sair daquele hospital. E 2014 serviu pra me ensinar a conviver e aceitar com serenidade as coisas que eu não posso mudar. Mas também me mostrou que mudar aquilo que eu posso, pode fazer toda a diferença. Passei 10 anos trabalhando com uma dedicação absurda. Passei 18 horas no escritório muitos dias, levei computador pras viagens de férias, tratei os problemas da empresa como se fossem meus. Uma hora a vida manda a conta. Estresse, crises de ansiedade, dificuldade de enxergar o futuro. Pra onde eu estou indo, mesmo? Eu não sabia mais responder essa pergunta. Depois de 10 anos tendo a carreira como foco, a minha vida pessoal gritou, eu gritei. E resolvi mudar, parar pela primeira vez nessa década.

E aos poucos estou fazendo listas (sim, amo listas) de pequenas metas que vão me ajudar a colocar a vida nos trilhos novamente. Vamos a elas:

 1 - Recolocar o aparelho e ficar com ele até o final do tratamento.

Coloquei um ano antes do casamento, tirei para casar, prometi recolocá-lo na volta da lua de mel e...nada.

2 - Tirar a carteira de motorista

Já tive carteira, tirei assim que fiz 18 anos. Mas nunca tive muito interesse por carro. Não tinha intenção de dirigir um, muito menos de ter um. Nunca liguei e casei com alguém que dirige, mas que também não tem intenção de comprar um carro, logo...nada.

3 - Aprender a nadar

Nunca tive aulas de natação. Eu aprendi alguma coisa sozinha, me viro. Na piscina é tranquilo, mas no mar... Acabo não indo a praia no Rio, quando vou não entro no mar. Hora de acabar com isso.

4 - Fazer um blog

Sempre tive essa vontade. Cursei jornalismo na faculdade motivada pelo meu amor pela leitura e pela escrita. Não me achei na profissão (ainda), mas o amor continua aqui. Esse espaço é uma forma de cuidar desse amor.

5 - Ler todos os livros que tenho em casa e depois, compartilhá-los

     Um dos meus rituais preferidos da vida é entrar numa livraria com calma. Passear pelos corredores e sair carregada de livros. Antes das minhas últimas férias eu fiz isso. Só que dos 9 livros que eu comprei, eu comecei 2 e não terminei nenhum. Essa meta tem prazo, final de março. E falar sobre esses livros aqui vai ser uma meta complementar.

6 - Ficar ainda mais consciente do caminho que o dinheiro faz depois que ele entra na minha conta.

Sempre fui muito controlada financeiramente. Na verdade, eu sempre fui shopaholic / gastadeira. As duas coisas ao mesmo tempo. Eu nunca entendi como essas duas características funcionaram em conjunto, mas continuam convivendo pacificamente. Nunca me compliquei pelas compras, mas nunca deixei de comprar. O resultado disso foi um armário lotado e, ao mesmo tempo, a sensação de que falta alguma coisa. É nesse vespeiro que eu quero mexer. Não quero sentir que falta nada, quero aproveitar bem tudo aquilo que já existe em cada. Não quero mais vestidos tristes, usados apenas uma vez. Muito menos sapatos que machucam guardados, como se o tempo fosse fazer um milagre e torná-los macios. Ou vai ser usado, ou vai ser doado. Sem meio termo, sem pena, sem aquela sensaçãozinha terrível de "um dia eu posso precisar disso". Abrindo espaço pro novo, de coração aberto e com a certeza de que se "esse dia que eu vou precisar" chegar, eu vou poder comprar. Um brinde ao desapego!

7 - Viajar mais pelo Brasil

A grande paixão da minha vida é viajar. Mas, com aquela desculpa safada de brasileiro, de que é mais barato viajar para o exterior, que aqui é caro, acabei viajando só para o exterior e não conheço bem nem mesmo o meu estado. Todo ano tem um mantra, o meu mantra de 2015 é "sem desculpas". Pra tudo existe uma solução. Muita pesquisa pode resolver essa questão e me levar para lugares lindíssimos, que eu sei que existem a uma distância razoável, de carro mesmo. Vou logo listar alguns lugares, pra que no final do ano eu possa conferir: Paraty, Visconde de Mauá, cidades históricas de Minas Gerais (Tiradentes, São João Del Rei, Ouro Preto...). Serão muitos feriados em 2015, sem desculpas.

8 - Terminar os planos pra casa pós-casamento

Moramos de aluguel. Até comprarmos a nossa casa, vai ser assim. Com isso, os planos não eram muito ousados, mas eram muitos. E ficaram pelo caminho em 2014. Terminar de organizar o meu home office, revelar fotos para as molduras da sala, fazer um quadro para a sala com um foto do nosso casamento, fazer uma nova cômoda... Vergonha na cara e mão na massa!

9 - Cursos, cursos e mais cursos

      Amo estudar. Esse é sem dúvida, o maior investimento da vida. Em 2014, mesmo com o furacão que passou na minha vida eu consegui concluir o curso de inglês no Brasas, seguir nas aulas de conversação e cursar um semestre de espanhol na Casa de España. Quero mais. Voltar pro espanhol, um MBA, um curso ligado à moda e um curso da Arte de Viver (falarei mais sobre eles em outro post).

É isso, agora depende de mim.

Tags: ,

Comentários

Nenhum comentário foi publicado para este post. Seja o primeiro a comentar...

Instagram